Manual completo, central PPA inversora,triflex híbrida, triflex,

Olá, a muitas duvidas de consumidores com a realização da programação e funções suportadas da central de comando PPA Triflex ou inversora para portões eletrônicos.
atenção: antes de executar a programação na central de comando deve-se ler o manual com atenção,e também identifique a localização e posição dos botões, chaves e leds na central de comando,
programe com paciência e atenção.

podem haver centrais com versões diferentes ex: V1.0 ou V1.1 ou V1.3 e outras.
na maioria dos casos segue-se o padrão de programação.
veja exemplos:













manual central de comando inversora 



obs: para obter todos os recursos oferecidos pela central e um perfeito funcionamento do conjunto,siga o manual com calma e atenção.
        Características
- Sistema eletrônico micro controlado.
- Acionamento por controle remoto (utilizar receptor compatível) ou
qualquer dispositivo que forneça contato NA (ex: botoeira).
- Inversor de frequência bivolt com alimentação AC 127/220V, dotado de
sistema de conversão para aplicação em motores trifásicos.
- Monitoramento dos movimentos do portão através do sistema de
Encoder (Fim de Curso Digital).

Conexões elétricas
 o esquema de ligação no final deste manual.

Função lógica do sistema
Proteção contra sobrecorrente
Existe uma proteção contra sobrecorrente na saída para o motor, com
a finalidade de proteger o equipamento, caso a corrente na saída
ultrapasse o valor permitido.
Para o uso da central ligada a dois motores ou se esta estiver com o
driver de maior potência, talvez seja necessário desligar essa proteção,
a fim de evitar desarmes falsos. Para isso, basta cortar (abrir) o jumper
J22 (4A/8A) localizado próximo à etapa de potência.
Para saber se esta proteção está atuando, deve-se verificar se a central
desliga o motor durante o funcionamento. Quando isso acontecer, o
led OSC pisca rapidamente por 10 segundos e, durante esse tempo, o
motor fica desligado.

Proteção contra curto-circuito
Existe uma proteção contra curto-circuito na saída para o motor, com a
finalidade de proteger o equipamento durante a instalação.
Para o uso da central ligada a dois motores ou se esta estiver com o
driver de maior potência, talvez seja necessário desligar essa proteção,
a fim de evitar desarmes falsos. Para isso, basta cortar (abrir) o Jumper
J23 (1MT/2MT) localizado próximo à etapa de potência.
Para saber se esta proteção está atuando, deve-se verificar se o motor
apresenta dificuldade de movimento durante o funcionamento.  

 É recomendável que este Jumper J23(1MT/2MT)esteja fechado
durante a instalação e durante o primeiro acionamento do
automatizador, a fim de evitar danos ao equipamento elétrico.
Remova-o somente depois de comprovado o funcionamento do motor.

Primeiro acionamento (memorização de percurso)
Após fazer todas as conexões do automatizador na central e na
rede AC, deve-se ligar a energia elétrica e acionar o automatizador
pressionando o botão + na central ou através de qualquer outro
comando externo (controle remoto gravado, botoeira, etc.).
O portão deverá iniciar lentamente um movimento de abertura até
encostar-se ao stop de abertura, iniciando em seguida um movimento
de fechamento até encostar-se ao stop de fechamento. Se o primeiro
movimento for de fechamento, deve-se abrir o jumper F/R e pressionar
novamente o botão + ou enviar qualquer outro comando externo para
a central.
Nota: Sempre, no primeiro acionamento após um corte de energia
elétrica, o automatizador fará primeiramente a calibração do percurso
gravado, voltando em seguida ao seu funcionamento normal. Durante
o fechamento no período de memorização, somente um comando de
fotocélula pode reverter o portão.

Programação dos parâmetros do inversor
A central possui funções que servem para calibrar o automatizador.
No funcionamento normal da central, o led OSC permanece piscando
de 1 em 1 segundo.
Quando uma função é selecionada através da Dip Switch de
programação, o led OSC pisca rápido por um pequeno intervalo de
tempo e depois indica o valor dela:
Valor mínimo: OSC piscando de meio em meio segundo.
Valores intermediários: OSC permanece apagado.
Valor máximo: OSC permanece aceso.
Ao sair da função, o led OSC pisca rápido por um pequeno intervalo
de tempo e depois volta a piscar de 1 em 1 segundo indicando o
funcionamento normal da central.
Atenção! Quando há um comando de receptor, botoeira ou
fotocélula, o led OC permanecerá aceso.
Para a correta programação das funções do automatizador, siga
atentamente os procedimentos a seguir:
                                                                                                  
Apagar o percurso:
Caso necessite memorizar novamente o percurso, pressione e
mantenha pressionado simultaneamente os botões + e – até acender
o led OSC. Em seguida, solte os 2 botões e o percurso estará apagado.
Todas as funções do automatizador são programadas através da
Dip Switch e os valores são ajustados através dos botões + para
aumentar e – para diminuir o valor.

 Veja na tabela abaixo as posições das chaves da Dip Switch para cada função.

 ATENÇÃO! Para sair do modo de programação e voltar ao
funcionamento normal do automatizador, as chaves da Dip
Switch deverão estar todas na posição OFF.

Aplicar os valores de fábrica:
Caso seja necessário resetar toda a programação e voltar aos valores
de fábrica, pressione e mantenha pressionado simultaneamente os
botões + e – até que o led OSC comece a piscar rapidamente. Em
seguida, solte os 2 botões e o percurso estará apagado e os valores de
fábrica estarão carregados novamente.

Sistema de antiesmagamento
O recurso de antiesmagamento permite detectar a presença de
obstáculos no percurso do portão. No ciclo de operação normal, se
detectado um obstáculo, o sistema tomará as seguintes atitudes:
a) No fechamento: o portão será acionado no sentido de abertura.
b) Na abertura: o motor será desligado e espera receber algum
comando para iniciar o fechamento.
No ciclo de memorização, o recurso de antiesmagamento tem apenas
a função de reconhecer os fins de curso de abertura e fechamento,
ou seja, o ponto do percurso onde foi detectado um obstáculo será
interpretado como fim de curso.

Atenção! Devido a alta velocidade do automatizador, é
recomendável a utilização de fotocélulas de forma a evitar
o choque do portão com o automóvel do usuário, caso o
mesmo permaneça nas proximidades do percurso.

Teste do encoder
Para testar o encoder do automatizador, estando o cabo devidamente
conectado na central, verifique se os leds ENCA e ENCB estão
piscando quando o automatizador é movimentado. Cada led
corresponde a um sensor, por exemplo, o led ENCA corresponde ao
sensor A dentro do motorredutor.

Sinalização de eventos e falhas
A função principal do led OSC é indicar que o microcontrolador da
placa está operacional (o mesmo pisca, com frequência fixa [~1Hz],
desde que a alimentação esteja ligada).
O led BUS indica que existe carga nos capacitores do barramento DC.
Atenção! Não se deve tocar na região de potência (região
dos capacitores) da placa enquanto o led BUS estiver aceso
mesmo depois do inversor ser desligado da rede elétrica.
O led FCA aceso sinaliza que o portão se encontra na região de fim de
curso aberto, ou seja, próximo ao "stop" de abertura.
O led FCF aceso sinaliza que o portão se encontra na região de fim de
curso fechado, ou seja, próximo ao "stop" de fechamento.

Possíveis falhas

 Conector da rede AC
A entrada da rede AC da central controladora
deve ser efetuada através dos bornes R e S.
Atenção! O automatizador é alimentado com 127V ou 220V monofásico, a frequência será
conforme a especificada na compra, que poderá ser de 60Hz ou 50Hz.
Conector para fotocélulas e botoeira

ATENÇAO! Antes da conexão dos acessórios (fotocélula, trava
eletromagnética e/ou luz de garagem/sinaleira), é recomendável
efetuar um teste geral de funcionamento da máquina. Para isto,
basta pressionar o botão + para acionar um comando de abertura.

Conector para fotocélulas e botoeira
Conexão das fotocélulas:
Deve-se instalar as fotocélulas posicionadas a uma altura de cerca de
50cm do piso (ou conforme recomendações do fabricante), de modo que o
transmissor e o detector fiquem alinhados um em relação ao outro. A central
reconhece um comando de fotocélula quando o borne FOT for conectado
ao GND, ou seja, um pulso para GND.

Conexão da botoeira:
A central reconhece um comando de botoeira quando o borne BOT for
conectado ao GND, ou seja, um pulso para GND.
Nota: O Controlador Lógico fornece 15 VDC (corrente máxima total de
120 mA) para a alimentação de fotocélulas e receptores E NÃO POSSUI
PROTEÇÃO PARA SOBRECORRENTE. Caso os equipamentos necessitem
de maior tensão ou corrente, será necessário o uso de uma fonte de
alimentação auxiliar.

Conector do receptor (RX)
Basta conectar um receptor avulso neste conector para operar o automatizador com
controle remoto. Para gravar o controle remoto, consulte o manual do receptor.
Conector para luz de garagem (LG) Caso seja feita a opção pelo uso de Luz
de Garagem, deve-se conectar o "Módulo Opcional Relé" neste conector. A operação
da luz de garagem sempre estará habilitada.

Conector para trava
eletromagnética (TRAVA)
Caso seja feita a opção pelo uso da Trava Eletromagnética, deve-se conectar o
"Módulo Opcional Relé" neste conector. A operação da trava eletromagnética sempre
estará habilitada.

Conector do Encoder (ENC)
É utilizado para a conexão, através de um cabo apropriado, entre o motor e a central
controladora. Dentro da caixa de redução do automatizador, há sensores que têm a
função de fornecer informações de: sentido de deslocamento e posição do portão durante a
operação. Tais informações são essenciais para o funcionamento adequado do automatizador.

Conector do motor
O motor deve ser ligado neste conector.

veja imagem do diagrama de ligação;



lembrando-se que algumas funções são configuradas a gosto.




aulas de montagen e manutenção portao eletronico inverter rotações motor.

Olá neste post vamos falar de como inverter as rotações do kit motor portão eletrônico independente da marca e modelo de kit motor monofásico 110V ou 220V.
lembrando que o motor monofásico possuí 3 fios sendo 1 fio o comum do motor e os outros dois são rotações sentido horário e anti horário,
lembrando que toda vez que inverter as rotações do motor deve-se inverter os finais de curso do kit motor portão.
essa mudança geralmente é feita na central de comando do kit motor,como são varias marcas e modelos e seus fabricantes não seguem um padrão de identificação, os bornes e fios do motor podem conter nomes diferentes de uma marca para outra.

vejamos alguns exemplos de nomes de bornes.
nas marcas PPA e outras varias geralmente são A. P. V. ou Am. Pr. Vm
A. P. V = A,amarelo(comum). P,preto(rotação). V,vermelho(rotação).

na marca garen geralmente são Az.Pt.Br
Az. Pt. Br = Az,azul(comum). Pt,preto(rotação). Br,branco(rotação).

outros modelos podem ser C. Ab. Fc

C. Ab. Fc = C,comum. Ab,abertura. Fc,fechamento.

ou no padrão de motores U. V. W.

U. V. W. = U,comum. V,rotação. W,rotação.

então para inverter as rotações do motor é só trocar a posição dos fios nos bornes da placa,
ex: o fio que esta ligado no F vai para o A e o A vai para o F.


lembrando que toda vez que inverter as rotações do motor deve-se inverter os finais de curso.
finais de curso são sensores que desativam a central ao serem acionados.
na maioria dos casos os sensores são conectados a placa através de conectores.

identifique a conexão do fim de curso na placa.

para inverter os finais de curso basta retirar o conector da central girar 180° e conectar,pronto fim de curso invertido.

quando usar a inversão de rotações?

a inversão de rotações são usadas para casos onde na programação do automático em vez do portão fechar ele abre, problemas na programação da central, e outros problemas...

esquema tubulação para portão eletrônico deslizante todos modelos.

Geralmente é um artigo quase extinto para muitos, por uma serie de motivos.qual marca qual modelo de equipamento a utilizar,qual portão qual modelo qual tamanho pois bem estas indecisões tardião a preparação para estes equipamentos serem bem instalados.
um passo também é conhecer um pouco da potencialidade e funções do equipamento.

Os kits de motores de portão atualmente são bem padronizados deixando assim um projeto de tubulação único para quase todos os modelos.
para definirmos a tubulação para o portão eletrônico precisamos obedecer determinadas normas,isto varia de acordo com o município. que normas são estas?
ex: se o passeio for de intenso trafego de pedestres e necessário a instalação de um sinalizador indicativo(visual ou sonoro) de abertura de portão.
dentre outras...

para criar uma tubulação para o portão é necessário saber como irá utilizar seu equipamento. a instalação mais simples possível é só a tubulação do ponto elétrico mais nada.
ou criar outras tubulações para fotocélula,acionadores internos,lampadas e sinalizadores,receptores de longo alcance,computadores,interfones,travas eletrônicas e outros.
pois bem, é preciso saber como ira utilizar seu equipamento para construir uma tubulação correta.

vejamos um exemplo de tubulação

manual completo central PPA universal full,com ou sem reed digital.

manual central universal full completo,
dica: antes de começar a programação leia o manual calmamente, identifique as chaves,botoes e Jumpers da placa,para não ficar perdido na hora da programação.
este manual é especifico para este modelo de central de comando.
segue abaixo o manual completo, veja a imagem da placa de comando.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...